Parashá Ki Tetsê

“Lembre-se do que Amalek fez com você no seu caminho quando vocês saíram do Egito. Quando eles te encontraram no caminho, e você estava cansado e exausto, eles cortaram os que estavam atrás de você e não temeram a D’us … Portanto, você deve obliterar a memória de Amalek debaixo dos céus. Você não deve esquecer” (Devarim 25:17).
Com esses versos, a Parashá desta semana, Ki Teitsê, conclui. Todos os dias, ao final de nossas orações matinais, este trecho é recitado. Quem foi Amalek e por que nós, os judeus – descritos pela Torá como “compassivos” – ordenados a destruir este povo?
A destruição de Amalek é um símbolo da supressão de um traço de caráter negativo que pode se manifestar dentro de cada um de nós.
Quando uma pessoa está disposta a sair de seu “Egito” – preocupações e vícios do dia a dia – “Amalek” aparece e tenta impedi-la de fazê-lo.
Como ele faz isso? “Quando eles te encontraram” em hebraico é karkchá. A palavra kar significa frio. O comentarista Rashi explica que Amalek tentou nos impedir com frieza. O que isto significa?
A espiritualidade prospera com calor e entusiasmo. Amalek esfria a espiritualidade e a entorpece para a pessoa não ficar entusiasmada com o crescimento espiritual, plantando sementes de dúvida, confusão e insegurança.
O antídoto para Amalek é “lembrar”. Deve-se sempre dedicar tempo para estudar a Torá, a sabedoria infinita do Criador, gravá-las s em nossa mente e aplica-las no cotidiano, anulando assim, todas nossas dúvidas e indecisões que freiam nosso avanço espiritual.