Parashá Korach

Números 16:1 – 18:32

A controvérsia entre Korach – o líder da rebelião (e o nome da porção da Torá desta semana) – e Moshe estava chegando à tona. De um lado, Moshe, líder do Povo judeu; do outro, Korach e seus 250 seguidores.

D’us disse a Moshe que dissesse aos judeus: “Afaste-se da habitação de Korach, Datan e Aviram”. D’us havia proferido o Seu aviso; em alguns minutos, a terra se abriria e engoliria Korach e todo o seu grupo.

A Torá descreve as ações de Moshe imediatamente após ouvir esse mandamento. “E Moshe se levantou e foi a Datan e Aviram; atrás dele, foram os anciãos de Israel.” A reação de Moshe foi espantosa. Ele já havia conversado, anteriormente, com Datan e Aviram e esgotara todas as oportunidades anteriores para fazer as pazes.

Por que ele voltou? Já não era tarde demais? D’us havia emitido Seu decreto: o destino deles foi selado. E se a intenção de Moshe era levar Datan e Aviram ao arrependimento, por que a Torá não diz que Moshe falou com eles? Por que nos diz apenas que Moshe “se levantou e foi”?

Rashi, o grande comentarista, explica que Moshe tinha certeza de que Datan e Aviram o receberiam favoravelmente. Embora D’us já tivesse julgado, o grande amor de Moshe por seus companheiros, mesmo pelos malfeitores como Datan e Aviram, levou-o a tentar mais uma vez consertar as coisas.

Infelizmente, porém, Korach e seus seguidores não mudaram suas atitudes, e a punição foi aplicada conforme o planejado. Esse episódio serve para destacar o amor de Moshe por seu povo e os grandes esforços que ele estava disposto a fazer para trazer um judeu de volta da beira do abismo. Mesmo depois que D’us pronunciou o julgamento e trancou os próprios portões do arrependimento, Moshe, como líder, não desistiu.

A lição, para nós, é clara: devemos fazer tudo que está ao nosso alcance para nos aproximarmos de todo judeu e amá-lo de todo o coração.