Parashá Tsav

Pérolas Tsav

( Levítico 6:1 – 8:36)

Shabat Hagadol

“No Shabat antes da Pêssach, o rabino deve ensinar e explicar as leis de Pêssach“, afirma o Código da Lei Judaica (Shulchan Aruch Orach Chaim cap. 429). Isso se refere ao sermão tradicional dado neste sábado, Shabat Hagadol – o Grande Shabat. “O mais importante é que ele exponha e mostre a eles os caminhos de D’us, e ensine a eles os atos que eles devem fazer.”

Obviamente, as “ações que eles devem fazer” se referem à limpeza, anulação Chamêts, o preparo ou compra da Matsá, preparativos para o Sêder etc. Mas o que se entende por “os caminhos de D’us”?

Um “caminho” é apenas um meio de alcançar um objetivo específico. O caminho que escolhemos para chegar lá não é um fim em si, mas apenas um meio necessário pelo qual podemos chegar ao nosso destino. Portanto, os “caminhos de D’us” não são a Torá e as mitsvot (mandamentos), pois esses são o objetivo final. “Os caminhos de D’us” devem, portanto, se referir a algo que nos leve a uma vida mais significativa.

Amor e reverência a D’us são os dois principais caminhos que nos levam a uma vida mais plena de observância judaica. Essas duas emoções impregnam nosso serviço a D’us com a devida alegria e prazer. A Torá e as mitsvot são o nosso objetivo, mas é o amor e a reverência que sentimos por D’us que garantem que nossas ações sejam realizadas da maneira mais perfeita possível.

Neste Shabat, o rabino costuma proferir seu sermão, ele fará mais do que um ensino das minúcias da lei prática, ele procurará infundir na congregação os sentimentos positivos que são os “caminhos de D’us”, que nos levam à perfeição em nosso serviço que buscamos. Pois é somente com um coração feliz e com verdadeira alegria em fazer parte do Povo Escolhido que podemos celebrar ao máximo nosso Pêssach.

Shabat Shalom Umevorach!