Parashá Vaiêshev-Chanuká

A Festa de Chanuka, nos ensina muitas lições sobre como viver nosso dia a dia.

Apesar do Templo Sagrado em Jerusalém ter sido destruído, a mitsvá das velas de Chanuka são eternas. Existem três aspectos importantes para esta mitsvá que, na verdade, tem um efeito de longo alcance no ano inteiro: a mitsvá de acender as velas de Chanuka está ligada ao conceito de luz e iluminação.

O número de luzes aumenta de dia para dia; e a menorá é colocada na entrada da casa ou na janela, de modo a permitir que sua luz ilumine a escuridão externa. A natureza da luz é ilimitada e sem fronteiras. Ela se estende de sua fonte e pode viajar grandes distâncias. Nada pode impedir que ilumine ou mude sua essência.

O serviço a D’us também deve ser executado dessa maneira, sem limites e sem alterações. Não há nada no mundo que tenha o poder de impedir um judeu de servir a D’us ou de dissuadi-lo de seu caminho sagrado.

Da mesma forma que a cada noite de Chanuka adicionamos mais uma vela, nunca se deve contentar com quaisquer realizações espirituais já alcançadas. Como as luzes da menorá, devemos sempre nos esforçar para aumentar a Torá e as mitsvot.

Por último, como aprendemos com a localização da menorá de Chanuka, nenhum judeu está “fora” do rebanho, da mesma maneira que o próprio propósito da menorá é iluminar até mesmo os recessos externos do mundo.

Chanuka Sameach e Shabat Shalom!