Parashá Vaiêshev

Pérolas Vaiêshev

(37:1 – 40:23)

A porção da Torá desta semana, Vaiêishev, narra as circunstâncias que levaram à nomeação de Iossef como o segundo comandante do Egito, subordinado apenas ao Faraó.

Iossef, o orgulho de seu pai, aos 17 anos, de repente, foi arrancado de seu ambiente seguro, de sua família e de seus pais. Foi jogado num poço e vendido como escravo em terra estrangeira onde foi acusado, falsamente, pela esposa de seu amo, por não sucumbir ao desejo imoral da mulher. Consequentemente, acabou sendo preso.
  O que Iossef deveria sentir e pensar após estes trágicos episódios? “Será que fui recompensado por minha lealdade? Fui jogado na prisão! Por quê? Porque me recusei a trair meu mestre e a D´us!”. A honestidade e a integridade de Iossef lhe levaram ao cárcere. Será que Iossef se desanimou? Teria, ele, rejeitado seu estilo de vida e os seus padrões de moralidade? A resposta de Iossef à adversidade foi continuar no mesmo caminho, agindo honestamente e de boa fé. Eventualmente, seu comportamento e virtude chamaram a atenção de seus carcereiros, o que o tornou, posteriormente, o “vice rei” do Egito.

Muitos de nós, certamente, teriam sucumbido à amargura e à depressão. Mas Iossef percebeu que deveria lidar com tais desafios. Essa é, pois, a tarefa de todo judeu: não importa o quão depravado e corrompido seja o seu ambiente, ele permanecerá indiferente, apoiado em sua fé em D’us e Sua Torá. Seguramente, desta forma, Hashem recompensará com sucesso inimaginável.