Parashá Vaishlach

“E Iaacov foi deixado sozinho.” (Bereshit, 32:25)O comentarista Rashi relata que Iaacov voltou para recuperar alguns “pequenos frascos” que ele, inadvertidamente, deixou para trás. O Rabino Isaac Luria explica que Iaacov era extremamente cuidadoso com seus pertences, pois cada objeto do domínio de uma pessoa tem significado e repercussões espirituais. Nossas posses físicas não são menos importantes em nosso serviço a D’us do que os dons espirituais que recebemos. Todos os nossos bens, talentos e habilidades devem ser utilizados para o mesmo fim: aproximarmo-nos de nosso Pai Celestial. Rim de Gur
“Não sou digno de todas as misericórdias e de toda a verdade que fizeste ao teu servo.” (Bereshit, 32:11)Quanto mais benevolência D’us demonstrou a Iaacov, mais o fez se sentir humilde e pequeno. Quando D’us concede Sua benevolência a uma pessoa, isto indica uma proximidade especial entre o indivíduo e D’us. Assim, quanto mais próximo o relacionamento de alguém com D’us, mais humilde e modesto ele deve ser. Tania
“O outro acampamento que resta pode, então, escapar.” (Bereshit 32: 9)Aproximando-se de seu irmão Essav, Iaacov dividiu seu acampamento com três objetivo, cada um com um propósito distinto: apaziguar Essav com presentes; orar pela ajuda de D’us e se preparar para a guerra, caso se tornasse inevitável. Isso é paralelo ao Mandamento do Shemá, no qual somos ordenados a amar D’us “de todo o coração” (oração); “com toda a sua alma” (guerra); “e com todas as suas forças” (posses e riqueza). Sefat Emet