Pérolas Haazínu


Pérolas Haazinu

(Deuteronômio 32:1-32:52)

e Sucot

A festa de Sucot marca o início dos dias de alegria do mês de Tishrei, após a solenidade de Rosh Hashaná e Iom Kipur. Apesar das diferenças entre tais festas, Sucot é, de fato, o ponto culminante e a realização dos Dias Sagrados.


Um dos temas fundamentais de Rosh Hashaná e Iom Kipur é a união do povo judeu. Mas é em Sucot que esta união encontra sua expressão mais alta.

A união do povo durante as primeiras festas não leva em consideração as muitas diferenças de temperamento, sensibilidade, inteligências ou quaisquer outras características que distinguem uma pessoa da outra.

Em Rosh Hashaná, todos nós permanecemos iguais perante D’us, aceitando Sua soberania e coroando-O nosso Rei; e, no Iom Kipur, somos igualmente chamados a fazer Teshuvá (arrependimento) e retornar a D’us.

Em Sucot, no entanto, alcançamos um nível de união ainda mais alto do que antes; uma das mitsvot mais importantes de Sucot relaciona-se às Quatro Espécies. Elas simbolizam os quatro tipos de pessoas que existem dentro de nosso povo. O Etrog (cidra) representa quem possui o aprendizado da Torá e também faz boas ações; o Lulav (palma) representa aquele que possui apenas o aprendizado da Torá; o Hadas (mirta) simboliza quem executa mandamentos e faz boas ações, mas não possui aprendizado da Torá; e finalmente, o Aravá (salgueiro), representa o judeu que não possui nem a Torá nem o aprendizado.

Em Sucot, pegamos essas quatro espécies díspares e as reunimos para realizar uma mitsvá. Nossa união não está em ignorar as diferenças externas que nos distinguem; pelo contrário, fazemos o possível para incluir todos os tipos de judeus, mesmo aqueles comparados ao Aravá que, aparentemente, não teriam uma contribuição positiva a dar. Apesar de todas as nossas diferenças, estamos todos unidos.

Este é o mais alto grau de união que podemos alcançar. É muito mais fácil nos concentrarmos apenas naquilo que temos em comum do que reconhecer diferenças individuais e, ainda assim, permanecermos juntos.

Em Sucot, verificamos e confirmamos a união que foi alcançada durante o Rosh Hashaná e o Iom Kipur. Esta percepção nos sustentará ao longo do ano e nos dará forças para viver em harmonia e solidariedade um com o outro.