Pérolas Ki Tavô

Parashat Ki Tavô

(Deuteronômio 26:1- 26:8)

“Dê o melhor de si”

A porção da Torá desta semana, Ki Tavô, contém o mandamento dos bikurim, os primeiros frutos.

“E será que, quando você entrar na Terra … e tomar todos os frutos da terra … e colocá-los em uma cesta … e o sacerdote tirará o cesto da sua mão e o colocará diante do altar do Senhor teu D-us. ” (Deut.24:4).

A mitzvá das primícias se aplica apenas aos “sete espécies pelos quais a terra de Israel é louvada” – uvas, figos, romãs, azeitonas, tâmaras, trigo e cevada.

Quem cultivava esses frutos especiais em sua faixa de terra era obrigado a levar o primeiro fruto de sua colheita ao representante de D’us na Terra – o sacerdote que servia no Templo Sagrado – agradecendo a D-us por sua generosidade e reconhecendo, com alegria, o Criador.

Uma mitzvá pode ser realizada de duas maneiras: com um mínimo de envolvimento e esforço, apenas para atender ao requisito; ou com sentimentos de amor e alegria, demonstrada pelo desejo de observá-la da maneira mais bonita possível, utilizando o melhor de tudo o que se possui.

Esse princípio é melhor expresso nas mitzvót de bikurim, para as quais o agricultor deve ir contra sua inclinação natural de reter para si o melhor dos frutos de seu trabalho e entregá-los ao sacerdote em Jerusalém.

Pensando em nós mesmos como a “primeira fruta” de D-us: toda ação que tomamos, todo pensamento que temos e toda palavra que sai de nossa boca devem advir de nosso melhor absoluto, o melhor que somos capazes de produzir.

Que os esforços para nos refinarmos dessa maneira tragam a Redenção Final, rapidamente, em nossos dias; e, com ela, a oportunidade de também observarmos a mitzvá de bikurim no sentido literal.

Shabat Shalom Umevorach!