Shemini Atseret- Simchat Torá

B´´H

O último dia da festa de Sucot é Simchat Torá. Neste dia, concluímos o ciclo anual de leitura da Torá, terminando a última porção do Livro de Devarim e começamos novamente com o primeiro capítulo de Bereshit. Mas por que esse dia em particular foi escolhido para celebrar nossa alegria com a Torá e não Shavuot quando recebemos a Torá no Sinai?

A resposta está na relação próxima de Simchat Torá com Iom Kipur, que precede Sucot em cinco dias. Quando Moshe recebeu as primeiras Tábuas, ao ver o Bezerro de Ouro que os judeus haviam moldado, Moshe as quebrou. Moshe ascendeu então ao Monte Sinai, por um segundo período de quarenta dias, implorando o perdão de D’us pelo povo judeu. Depois de um terceiro período de quarenta dias, Moshe desceu com as Segundas Tábuas.

Explicam nossos sábios que em Shavuot, a Torá foi veio como um presente, enquanto em Simchat Torá a alegria que sentimos é resultado do trabalho e esforço que investimos em viver e aprender a Torá durante o ano que se passou.

A natureza humana é tal que é impossível sentir alegria pura e não adulterada por algo que é recebido sem ter feito nenhum esforço. O alimento que uma pessoa recebe como uma doação de caridade é chamado de “pão da vergonha” e traz consigo apenas uma satisfação incompleta. Uma pessoa é verdadeiramente feliz somente quando seu sucesso e riqueza são alcançados como fruto de seu próprio trabalho. É por isso que, em Shavuot, nossa alegria na Torá não é completa, pois naquele dia D’us nos deu Seu presente sem nenhum esforço de nossa parte. Nossa alegria ilimitada na Torá de D’us é reservada para Simchat Torá, o culminar de um ano inteiro de aprendizado e estudo.