Parashá Balak

Pérolas Balak

“E agora venha, peço-lhe, e amaldiçoe-me este povo…” (Bamidbar, 22: 4)

“É interessante notar a linguagem que Balak usou quando pediu a Bilaam que amaldiçoasse o Povo judeu: “amaldiçoe-me”, disse ele, termo que também pode significar que ele próprio deveria ser amaldiçoado – o que foi, exatamente, o que aconteceu. É preciso, sempre, pensar antes de falar e prestar atenção nas palavras que usamos.”

(Shalá Hakadosh)

 

“E D’us abriu a boca da jumenta…” (Bamidbar, 22:28)

“Não pense muito de si mesmo por ser um profeta”: D’us estava repreendendo Bilaam. “Olha, até um jumento pode falar se assim eu decretar. Como a um jumento, a única razão pela qual você recebeu uma profecia é que ela acabará por trazer benefícios para o Povo judeu.”

(Kli Yakar)

 

“Ele não viu nada de errado em Yaacov, nem viu qualquer mal em Israel; o Senhor seu D’us está com ele, e a Glória do Rei habita com ele.” (Bamidbar, 23:21)

“Somente aquele que ‘não vê mal em Yaacov’ ou ‘mal em Israel’, que não tenta criticar seu companheiro – e sempre o julga favoravelmente – merecerá que ‘o Senhor seu D’us esteja com ele, e o a glória do Rei mora com ele’.”

(Rabi Chaim de Tsanz)

 

“O Senhor, seu D’us, está com ele (Povo judeu). (Bamidbar, 23:21)

“Um judeu nunca está sozinho. Onde quer que ele vá e onde quer que esteja, o Senhor, seu D’us, está com ele.”

(Baal Shem Tov)