Parashá Korach

B´´H

Pérolas Korach

“Ôn foi um dos 250 seguidores de Korach em sua insurreição cÔntra Moshê. No entanto, quando a Torá lista aqueles que foram punidos, o nome de Ôn é omitido. Por quê? Ôn foi salvo por sua esposa justa. Quando soube das intenções do marido, ela o cÔnvenceu de que era errado ir cÔntra Moshê. No entanto, Ôn já havia prometido a Korach que se juntaria a ele. O que sua esposa fez? Ela lhe deu uma refeição e vinho forte, fazendo-o adormecer. Quando Korach e seu grupo vieram procurá-lo, ela se sentou na frente de sua tenda, despojou o cabelo de maneira indecente e começou a penteá-lo. Korach e seus seguidores não se aproximaram dela. Por causa de sua esposa virtuosa, a vida de Ôn foi poupada.”

(Midrash)

“E Korach deu [um passo ousado] […] junto com Datan e Aviram … e Ôn, o filho de Pelet.” (Bamidbar, 16: 1)

A Torá crítica Datan e Aviram mais do que quaisquer outros participantes da rebelião de Korach, pois se envolveram em uma cÔntrovérsia que não era da sua cÔnta. Eles não eram filhos primogênitos que pudessem se ressentir de ter o sacerdócio deles retirado; nem eram da Tribo de Levi. O sacerdócio não era da cÔnta deles.”

(Machane Belula)

“E Moshê mandou chamar Datan e Aviram.” (Números, 16:12)

“Daqui aprendemos que não se deve ‘segurar’ a cÔntrovérsia.” (Sanhedrin, 106).

“Mesmo que várias tentativas de fazer a paz tenham sido feitas sem sucesso, é proibido levantar as mãos e presumir que nada mais pode ser feito. Em vez disso, deve-se cÔntinuar os esforços até que a paz seja alcançada. Portanto, apesar de Moshê já ter conversado com Datan e Aviram várias vezes, ele tentou, mais uma vez, dissuadi-los.”

(Rabino Yitzchak de Vorki)