Parashá Vaikrá

“E D’us chamou Moshê; e D’us falou com ele da Tenda da Reunião, dizendo […]”. (Vaikrá,1:1)

 

– A palavra hebraica para o termo chamado, “Vaikrá”, é escrita com um alef pequeno, aludindo à humildade excepcional de Moshê. Como Reb Simcha Bunim de Pshischa explicou, Moshê não se impressionou com sua própria grandeza. É verdade que ele havia atingido um nível extraordinário de espiritualidade, mas se via como se estivesse no topo de um telhado alto: D’us havia lhe dado suas qualidades notáveis e, portanto, suas realizações não eram o resultado de seus próprios esforços. Por isso Moshê esperou até ser chamado para entrar na Tenda de Comunhão.                                                               

(Reb Simcha Bunim de Pshischa)

 

– Conforme explicado por Rashi, D’us introduziu cada fala com Moshê, chamando por ele, indicativo de Seu grande amor. Este amor entre D’us e Moshê é um símbolo do relacionamento aberto e amoroso desfrutado pelo Povo Judeu quando o Templo Sagrado ainda existia e a Presença Divina repousava no Santo dos Santos. Este amor não diminuiu durante o exílio; ele apenas se tornou menos aberto e revelado. A maneira de restaurar o relacionamento com D’us a sua antiga glória é expressar amor incondicional por nossos companheiros. Se o Povo for unido em fraternidade e unidade, o amor de D’us por Moshê será mais uma vez totalmente expresso quando os mortos forem ressuscitados e o Terceiro Templo Sagrado, reconstruído.

 

– Aprendemos sobre as várias ofertas e sacrifícios para entender que devemos estar dispostos a fazer sacrifícios, tanto monetários como de outra natureza, para proporcionar aos nossos filhos uma educação judaica adequada. Além disso, os primeiros e mais preciosos anos de uma criança devem ser dedicados ao estudo da Torá, sem levar em conta as escolhas profissionais posteriores. Por esta razão, as crianças que estão começando seus estudos da Torá começam com o Livro de Levítico.                                                                

(Avnei Ezel)